site

Handebol: Gabrieli Moraes carrega títulos e conquistas em sete anos defendendo a camisa tricolor

31/jul
Handebol: Gabrieli Moraes carrega títulos e conquistas em sete anos defendendo a camisa tricolor

Foto: arquivo pessoal

Gabrieli Moraes ou pode chamar de Bia, como é conhecida entre as amigas e as atletas do time de handebol feminino do Fortaleza. A armadora central carrega bastante história e sete títulos pelo Tricolor do Pici, onde chegou em 2013. Experiente, com 26 anos de idade, leva a quarentena de forma leve e sonha em ser campeã da Liga Nacional pelo Leão.

A atleta ganhou o apelido de “Bia” quando era criança por causa de uma tia. “Ela dizia que eu tinha cara de Bia e que eu ia morrer com esse nome, podia ter o nome que fosse, mas ia me chamar assim”. Sendo um dos destaques da equipe tricolor, ela começou a praticar o handebol com 11 anos em uma escola pública.

“Depois consegui uma bolsa de estudos em uma escola particular, onde ganhamos três anos seguidos os Jogos Escolares na fase estadual e disputamos o Brasileiro entre 2008 e 2010. Continuei jogando até 2016 e parei dois anos. Quando retornei em 2018, ganhei uma bolsa universitária e levamos o Jogos Universitários na fase estadual e também em 2019. Assim, conseguimos viajar para os Jogos Universitários na fase nacional”, conta a armadora tricolor.  

Foto: arquivo pessoal

A caminhada para o Leão

Foto: arquivo pessoal

Gabrieli Moraes Cruz Viana passou pelo Colégio Júlia Fialho e o time Adaha Aracati até chegar a defender o Fortaleza em 2013 ao convite de Alex Dourado, atual treinador da modalidade. No mesmo ano, com todo o time ganhando entrosamento e adaptação, o Leão participou do Campeonato Brasileiro de Clubes em Belém do Pará, competição que marcou muito a carreira de Bia.

“Estávamos no início ainda, nos adaptando, criando um entrosamento e mesmo assim o Alex confiou no nosso handebol e na filosofia dele. Fizemos jogos duríssimo e principalmente uma semifinal com um time que era favorito. Foi uma das partidas que eu nunca mais esqueci. Não conseguimos o primeiro lugar, mas a nossa união em todos os confrontos, a confiança em que o nosso professor passava e a vontade de vencer que todas as meninas passavam ali, me marcaram muito”, relembra a atleta.

Títulos e conquistas

Desde então, são sete anos e títulos com a camisa do Fortaleza, além de conquistas importantes na trajetória de atleta: hepta campeão cearense de handebol (2013 a 2019); vice-campeã universitário fase Nordeste 2018; quarto lugar no Brasileiro Universitário 2018; vice-campeã universitário fase Nordeste 2019; quarto lugar Brasileiro de Clubes 2019; vice-campeã Liga Nordeste 2015; e vice-campeã do Campeonato Brasileiro de Clubes 2013.

Foto: arquivo pessoal

Sonho e quarentena

Para levantar mais taças e dar show em quadra, Gabrieli está ansiosa para voltar a jogar após a pandemia e conquistar a Liga Nacional, o que é seu grande sonho com a camisa tricolor. Fora treinar, a atleta tem assistido série, lido livros, trabalhado e estudado bastante na quarentena. “Eu não vejo a hora de tá todo mundo junto de novo nos treinos, brincando, aprendendo, levando carão e suando muito”.